Talvez, apenas talvez

Posted by Gustavo P. da Silva on 10:05

E no fundo, talvez nunca deixei de ser criança,
que brinca de imaginar e sonha em sonhar.
Talvez, apenas talvez, a criança nunca deixou
de existir, só  foi escondida no fundo mais escuro da alma,
para que o EU se tornasse em todos e se encaixasse na "linha do tempo da vida" : crescer e prosperar acima de tudo e de todos.
Talvez a criança nunca desapareceu,
apenas se escondeu DO escuro!

Gustavo P. da Silva